ISPN   >  PPP-ECOS



Início
Sobre o ISPN
PPP-ECOS
FLORELOS
Links



Programa de Pequenos Projetos Ecossociais


Somando esforços locais em busca de meios sustentáveis de vida com benefícios ambientais globais.

Projetos Comitê Gestor Arquivos Dúvidas
O Programa

No Brasil, o Programa de Pequenos Projetos Ecossociais (PPP-ECOS) do Fundo para o Meio Ambiente Mundial (GEF), por meio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), apóia projetos de organizações não governamentais e de base comunitária que promovam meios de vida sustentáveis no Cerrado.

Foco Geográfico do PPP-ECOS no Brasil: CERRADO

O Cerrado:
  • Dois milhões de km² em 14 estados;
  • Segundo maior bioma do país;
  • Rica biodiversidade;
  • Pressão da expansão da fronteira agrícola; e
  • Pouco priorizado por outros financiamentos.
Concentração dos Projetos PPP:


Prioridades do PPP-ECOS
  • Qualidade ambiental e qualidade de vida;
  • Participação comunitária;
  • Inovação;
  • Replicabilidade; e
  • Subsídios para políticas públicas.

Estrutura do PPP-ECOS

Fonte Financiadora: Fundo para o Meio Ambiente Mundial (GEF);

Coordenação Internacional: Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e Escritório de Serviços de Projetos das Nações Unidas (UNOPS);

Coordenação Técnico-Administrativa (CTA):
Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN);

Comitê Gestor Nacional: representantes ou especialistas da ABC, FBOMs, FUNATURA, ISA, MMA, MDA, OIT, PNUD, Rede Cerrado e UnB.

Tramitação de projetos
  • Editais e roteiros divulgados nacionalmente;
  • Triagem e pré-avaliação pela CTA;
  • Seleção semi-final por pelo menos três integrantes do CGN, conforme suas especialidades; e
  • Seleção final pela Plenária do CGN;
  • O acompanhamento técnico-administrativo é feito pela CTA (ISPN).
Desde 1995, foram apoiados 158 projetos em 13 estados, num valor total de US$ 4milhões e valor médio de US$ 25 mil.

Lições aprendidas
  • Micro-financiamentos geram resultados significativos;
  • A consciência ambiental gerada funciona como pólo irradiador de inovações;
  • O apoio de um programa ligado às Nações Unidas aumenta o prestígio da entidade e alavanca financiamentos de outras fontes;
  • É necessário capacitar as comunidades tecnicamente e na elaboração de projetos;
  • É preciso criar mecanismos que facilitem a comercialização da produção agroextrativa;
  • Contatos mais intensos entre os diversos projetos devem ser estimulados;
  • As entidades apoiadas pelo PPP em geral passam a integrar redes com maior influência nas políticas públicas regionais e nacionais;
  • A CTA por uma ONG permite o trabalho de equipe que combina diversos conhecimentos e a montagem de uma ampla rede de contatos entre as partes interessadas; e
  • A flexibilidade e burocracia mínima fazem do PPP-ECOS um "programa demonstrativo".

Linhas de ação futura
  • Ampliar a troca de experiência entre projetos e entre programas similares;
  • Estimular a sustentabilidade das atividades apoiadas;
  • Consolidar experiências bem sucedidas e aumentar sua escala;
  • Mobilizar co-financiamento e buscar novas parcerias financeiras para os projetos e o programa;
  • Disseminar as experiências positivas e lições aprendidas no âmbito do PPP para outras comunidades ainda não atendidas e instituições governamentais; e
  • Incentivar a organização de coletivos e redes.

Exemplos de iniciativas apoiadas
  • Extrativismo e processamento comercial de frutas nativas, plantas medicinais e flores do Cerrado;
  • Apicultura e criação de abelhas nativas;
  • Artesanato que faz uso sustentável da biodiversidade;
  • Manejo e conservação do solo e das nascentes;
  • Criatórios de animais silvestres;
  • Ações para uso controlado do fogo e combate de incêndios;
  • Uso de energia solar; e
  • Recuperação de tradições indígenas de uso da biodiversidade.
Instituto Sociedade, População e Natureza - ISPN
SCLN 202, Bloco B, Salas 101/104, CEP 70832-525, Brasília - DF
Fone/Fax: (61) 3327-8085 - E-mail: institutospn@ispn.org.br